Estampa novinha em folha feita pelo Señor Cabriton em pessoa que desenhou sobre a imagem do Google Maps da região. Para quem não conhece, os nomes se referem à 3 ruas são muito próximas uma da outra, na região central de São Paulo.

Nós somos suspeitos para falar de Augusta, né? A rua é a nossa casa e está em nosso coração. Passagem obrigatória para quem vem a São Paulo a passeio, a Rua Augusta representa a cidade como nenhum outro lugar com toda sua diversidade.

Tom Zé, baiano que caiu de amores pela cidade de São Paulo, criou a canção que brinca com os nomes das ruas.

Então, fica a nossa homenagem a homenagem de Tom Zé.

Versão Masculina e Feminina R$ 64 mangos em nosso maravilhoso site! Clique AQUI!! 

Tom Zé lançou a música no disco “Todos os Olhos” (aquele da capa com a bolinha de gude) e se você não conhece a música, segue o vídeo e abaixo a letra.

“Augusta, graças a deus,
Graças a deus,
Entre você e a angélica
Eu encontrei a consolação
Que veio olhar por mim
E me deu a mão.
Augusta, que saudade,
Você era vaidosa,
Que saudade,
E gastava o meu dinheiro,
Que saudade,
Com roupas importadas
E outras bobagens.
Angélica, que maldade,
Você sempre me deu bolo,
Que maldade,
E até andava com a roupa,
Que maldade,
Cheirando a consultório médico,
Angélica.
Augusta, graças a deus,
Entre você e a angélica
Eu encontrei a consolação
Que veio olhar por mim
E me deu a mão.
Quando eu vi
Que o largo dos aflitos
Não era bastante largo
Pra caber minha aflição,
Eu fui morar na estação da luz,
Porque estava tudo escuro
Dentro do meu coração.”