Chegou a vez dele no nosso baralho, o Rei! 13ª edição – Projeto 54

Nobre até no baralho, o Rei é a carta mais antiga entre as que possuem figuras e uma das mais bem classificadas. Surgiu durante o século 15, quando espanhóis começaram a reproduzir permanentemente imagens dos seus monarcas nas cartas.

Na Europa, diferentes países começaram a ter a sua variação; hoje é possível encontrar em arquivos da história, vários estilos de desenhos de reis, de acordo com a cultura e área geográfica. Comuns na época, eram quase sempre retratados sentados em seus tronos.

Após o desenvolvimento da indústria gráfica, no final do século 15, pequenos ateliês responsáveis pelas cartas personalizadas acabaram fechando e a padronização dos baralhos impressos se popularizou.

Um deck que se destaca bastante desta época é o de Pierre Marechal, criado em 1567, em Rouen, França. O modelo, com suas figuras, foi o que evoluiu posteriormente para o que conhecemos hoje.

Duas cartas de Pierre Marechal, Rouen c.1567

❤️ Rei de Copas, o Rei do Suicídio”

Outra curiosidade interessante é sobre o Rei de Copas, conhecido também como o ‘Rei do Suicídio’.

O nome, que deriva de um desenho medieval, mostra o Rei empunhando um machado de batalha ao lado de sua cabeça. Muitos dizem que a posição dele na carta mostra certamente a ação, por isso seu apelido.

Mas por volta de 1800, o machado foi substituído por uma espada. Em muitos baralhos, a espada também foi retirada detrás de sua cabeça. Curiosamente, o Rei de Copas também é o único entre os de outros naipes que não possui bigode.

Oito versões diferentes do ‘Rei do Suicídio’, vários períodos e locais, ilustram como o Rei de Copas nas cartas de baralho derivam de um design medieval que trazia um machado empunhado perto de sua cabeça (Imagem: The World of Playing Cards);

REI – 13ª EDIÇÃO / PROJETO 54

Agora você confere as inspirações dos artistas responsáveis pelos Reis da 13ª edição do Projeto 54. Richard “Roh”, Matt Santa Cruz, Kenji Lambert e Vitorelo.

RICHARD “ROH”

Richard, conhecido também como “Roh Orc”, trabalha com ilustração e desenvolvimento de jogos digitais. Como muitos artistas, desde pequeno gosta de desenhar. Se formou em Design Gráfico, frequentou cursos de desenho e especializou-se no desenvolvimento de jogos.

Animes, livros de rpg de mesa (hobby que tem até hoje) e o mundo da arte em geral, sempre o interessaram. Em 2010, Roh começou a criar quadrinhos, ilustrações e jogos autorais inspirado pelo universo da fantasia, aventura, magia. Além disso, em seus trabalhos, trata de temas gays e do cotidiano, sempre utilizando bastante cores.

Responsável pelo Rei de Paus, decidiu trazer para a El Cabriton um desenho seu bem recorrente, o orc gay. 

“Desde que eu me entendi como gay, quando eu era mais jovem, tive essa simpatia por criaturas e seres de fantasia medieval que são ‘o outro’, que de alguma forma são vistos como malignos pelo resto do mundo, como demônios, sátiros, orcs, etc. Sempre tive essa leitura queer desses seres e da vivência deles, e por isso sempre gostei de incorporá-las nos meus trabalhos.”

“Fiz um Rei Orca com temática meio onírica e melancólica. Os olhos pretos que choram lágrimas pretas, se misturam aos elementos gráficos da carta de baralho tradicional, destacando a composição, simetria e união das cores”.

“Acredito que arte deve ser tudo o que as pessoas enxergam como arte, tudo o que é criado com a intenção de arte, ou que as pessoas impõe algum valor”.

Para Roh, a arte é uma decisão, uma visão coletiva – e algo extremamente de âmbito pessoal. Sobre a El Cabriton, o artista fica muito feliz que exista esse tipo de iniciativa, projetos, lojas que valorizam a produção de arte independente no Brasil. “Todos sabemos que essa ajuda conta muito no atual contexto e faz toda diferença para nós artistas”, finaliza.

MATT SANTA CRUZ


Ilustrador, designer gráfico e artista, Matheus Santa Cruz tem como inspiração os games, concept art (como Environmental Concept Art), visual development, universo da fantasia e ficção científica, ao criar personagens que poderiam ser facilmente encontrados nas histórias de animes e mangas.

Em muitos desenhos, Matt usa fotografias de cenários reais para criar seus conceitos. Ao unir as ideias no Clip Studio Paint, um editor de imagem que possibilita a criação de mangás e histórias em quadrinhos japonês, projeta em camadas, um estilo único artístico que permite a experimentação de novas cores, brushes e técnicas.

Para sua carta, o Rei de Copas, Matt fez a fusão entre a arte conceitual de fantasia e ilustração de anime japonês.

KENJI LAMBERT

Kenji Lambert é artista asiático-brasileiro. Ilustrador, designer, diretor de arte, motion designer, atua no mercado de quadrinhos. Já trabalhou na The Walt Disney Company Brasil, na TV Globo e atualmente é Designer Sênior no Cartoon Network.

Em suas criações, o artista celebra a criatividade e explora relações com a diversidade de cores. Sua carta, o Rei de Paus, traz elementos inspirados na mitologia, religião e na simbologia atribuída a São Paulo (apóstolo) – Spiritus Gladius, em latim, traduzido como “Espada do Espírito”.

A carta traz referências do santuário de Paulo, seus grandes vitrais rico em cores e ornamentos. O símbolo original, que possui uma Bíblia aberta e uma espada atrás dela, possui a inscrição em latim “Spiritus Gladius” (a espada do Espírito) e segundo pesquisas, seria uma metáfora para descrever as próprias palavras do Apóstolo, sobre harmonia entre mente, corpo e espírito.

VITORELO

Kael Vitorelo trabalha com arte e design. Sempre desenhou bastante e até hoje faz histórias em quadrinhos – em seu tempo livre e também profissionalmente. Mestre em Comunicação e Semiótica, um de seus objetos de pesquisa é justamente o desenho como ferramenta complexa, assim como a palavra escrita.

Seu trabalho aborda temas como o transfeminismo e gênero, tanto que a temática LGBT+ é o foco de seu livro de estreia no mercado editorial: o Kit Gay, lançado pela Editora Veneta em 2022, e que esse ano foi indicado a vários prêmios. Recentemente, lançou também o gibi Judite pela Ugra Press. 

“Cartas como o Rei, o Valete, a Rainha, costumam ser espelhadas na vertical para terem um desenho que funcione, não importa como você a segure. Queria assumir o desafio e criar uma narrativa, foi daí que decidi criar dois personagens que interagem de forma espelhada pra sugerir um conflito interno; tanto a postura deles como a espada que eles carregam formam o losango do naipe da carta”.

Vitorelo havia pensado inicialmente para o Rei de Ouros, em desenhar dois querubins de arco e flecha, inspirando-se em relação a performance famosa da Marina Abramovic. A ideia acabou muito complexa pra funcionar do jeito que queria, então voltou para o conceito dos serafins e a sua relação com o fogo.

“Não sou uma grande conhecedora de belas artes, mas bebi bastante da fonte dessas duas obras: O Lamento de Ícaro, do Herbert Draper, e o Anjo Caído, do Alexandre Cabanel. Não tem nenhum motivo em particular para ter retratado personagens alados, mas gosto da aparência visual das asas, além da ligação simbólica entre a realeza (do naipe) e o divino.

Ao pesquisar os tons utilizados nas cartas medievais, baralhos antigos, cartas de tarot, encontrou variações de cores primárias – vermelho, amarelo e azul. Com exceção dos estudos que fez à lápis no papel, a carta foi criada digitalmente no iPad pelo Procreate, depois finalizada no computador. 

Para Kael, existem vários tipos de artes, para vários fins. Ela usa a arte como comunicação. “É uma ferramenta assim como a palavra, mas com suas particularidades”, diz.

Vitorelo acredita que o Projeto 54 é uma parceria, um esforço coletivo, o que faz com que o baralho seja ainda mais envolvente como um todo.

“Além de ter um pouco de cada artista participante, o Projeto 54 tem um pouco de cada pessoa que contribuiu pra ele acontecer”.

GARANTA O SEU!

O Projeto 54 traz uma variedade infinita de estilos e artes. Além disso, por cada carta ser criada por um artista diferente, já passaram por aqui +700 nomes. 

Este ano entrevistamos cada um deles para saber um pouco mais sobre suas inspirações: identidade visualAsesCarta 2Carta 3Carta 4Carta 5Carta 6Carta 7Carta 8Carta 9, Carta 10Curingas, Valetes, Rainhas.

A El Cabriton tem como ideal um mundo com mais arte. A 13ª edição do nosso baralho tem tiragem única, limitada e é impressa pela COPAGGARANTA O SEU!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s